segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Conheces os curiosos peixes migradores do Rio Minho?

ENGUIA europeia (Anguilla anguilla) 



Durante muitos séculos, a enguia permaneceu um verdadeiro mistério pois é um animal muito curioso - nasce no mar e cresce no rio.


Na primavera, a enguia europeia põe os seus ovos nas águas quentes do mar dos Sargaços, no Atlântico Norte.
No verão após a eclosão, são empurradas pelas águas das correntes do Golfo, dissimuladas nas algas à deriva, cujo período larvar dura cerca de 2,5 a 3 anos.


Durante a metamorfose, os LEPTOCÉFALOS (larvas da enguia com o corpo transparente e achatado em forma de folha), deixam de se alimentar e perdem os dentes.


Nesta fase, chega ao rio Minho com o seu corpo torna-se cilíndrico, mantendo a transparência, tem cerca de 6-8 cm e é denominada ENGUIA DE VIDRO, ANGULA ou MEIXÃO, petisco que atinge preços consideráveis e que muito apreciado por “nuestros hermanos”.

A angula enterra-se na areia para se proteger quando está a maré baixa e aproveita a corrente para subir o rio quando sobe a maré e assim vai poupando energia para a sua jornada.

Quando chegam próximo do estuário, aí permanecem em lagos ou charcos de água doce entre 5 a 15 anos. Nesse período atinge o tamanho ideal para ser pescada, na sua fase de ENGUIA AMARELA, alimentando-se de insetos, crustáceos, peixes e aves aquáticas. A fémea adulta poderá chegar aos 1,50m, enquanto o macho não passará dos 60 cm. 


No outono, época de regresso ao mar torna-se escura na parte dorsal, mas o seu ventre permanece mais branco. O seu organismo acumula gordura, que é importante para o percurso de cerca de 7.500km que terá de fazer até ao Mar dos Sargaços para a desova, após a qual morrerá.

Sem comentários:

Publicar um comentário