segunda-feira, 23 de abril de 2012

Minho, fonte de inspiração...



Dado que hoje se celebra o Dia Mundial do Livro, resolvemos escrever um artigo sobre alguns dos escritores portugueses que viveram no Minho e que se inspiraram nesta linda região para escrever as suas obras. Por aqui passaram diversos escritores, tais como Camilo Castelo Branco ou Aquilino Ribeiro que acabariam por se fixar nesta região, sendo possível visitar as suas casas actualmente. 

As suas habitações são património histórico de inegável valor que serviram muitas vezes como espaços de convívios e tertúlia. Estas casas são lugares habitados pela História, permitindo-nos mergulhar no quotidiano de escritores marcantes da região, assim como aprender sobre os seus hábitos de vida ou os gostos dessa geração. Aqui ficam 3 dos grandes escritores portugueses que viveram no Minho.

 Camilo Castelo Branco escreveu uma das suas grandes obras, “As Novelas do Minho” enquanto vivia em Vila Nova de Famalicão, tendo-se instalado na Casa de São Miguel de Ceide em 1864. Nesta narrativa, Camilo faz uma incursão ao interior do Minho revelando as suas origens, paisagens, costumes e tradições, relatando vários episódios da região e da sua sociedade durante o século XIX. Esta habitação foi entretanto transformada em Casa-museu, homenageando o escritor e foi considerada em 2006 como o melhor museu de Portugal.

O escritor beirão Aquilino Ribeiro também encontrou morada no Minho, habitando na Casa Grande de Romarigães em Paredes de Coura. Esta casa que tinha sido morada do ex-Presidente Bernardino Machado, serviu como inspiração para uma das suas obras-primas “A casa grande de Romarigães”, publicada em 1957, onde recria o universo rural do Alto Minho e relata o apogeu e a decadência das casas fidalgas. Esta casa nobre oitocentista é actualmente um imóvel de interesse público, sendo apenas possível ver o seu exterior.

O poeta Pedro Homem de Melo, um entusiástico estudioso e divulgador do folclore português, tendo sido criado e patrocinador de diversos ranchos folclóricos minhotos, foi outro dos grandes escritores que encontrou no Minho o seu pequeno paraíso e fonte de inspiração. Nascido no Porto, tinha uma casa de férias em Afife, conhecida como Casa do Convento de S. João de Cabanas e foi aqui que viveu durante grande parte da sua vida, sendo sido o seu refúgio para a escrita e a serra da Arga e as suas gentes a sua inspiração. Após a morte do escritor, este edifício foi adquirido pelo Cônsul de Espanha que restaurou esta incrível propriedade, situado numa encosta junto à margem direita do rio Afife.

Muitos outros escritores passaram por esta região procurando inspiração ou um ambiente mais propício à criatividade nomeadamente, Raul Brandão (Guimarães), João Verde (Monção), Conde d’Aurora (Ponte de Lima), António Correia de Oliveira (Esposende), Tomás de Figueiredo (Arcos de Valdevez), Francisco Sá de Miranda (Vila Verde e Amares), Teixeira de Queirós (Arcos de Valdevez), António Pedro (Caminha), Ruben A. (Viana do Castelo) e Luís de Almeida Braga (Vila Nova de Cerveira). A hospitalidade das pessoas, a variedade das paisagens e todo o ambiente único desta região atraíram as mentes brilhantes para este sítio, agora só faltam vocês. Desloquem-se até à nossa região e inspirem-se. Até já!


Casa de S. Miguel de Seide, Famalicão (Fonte da Imagem - http://tertuliabibliofila.blogspot.pt/2009/06/ana-augusta-vieira-placido.html)


Casa Grande de Romarigães, Paredes de Coura (Fonte da Imagem - http://leiturasdomedico.blogspot.pt/2007/12/casa-grande-de-romariges.html)

Convento de S. João das Cabanas, Afife (http://olharvianadocastelo.blogspot.pt/2011/11/convento-de-cabanas-em-afife-venda.html)

Sem comentários:

Publicar um comentário